domingo, 21 de junho de 2009

Ode perdida

Esta é minha ode
destinada às coisas vivas
que permeiam meu solo.

Viveis por todos os lados.
Tarde mesmo aterrisa o recado.

(antes tarde do que a morte)

Viveis a vida num reparto
no sol ou na penumbra

e, num mesmo coração gelado,
sois enfim levados à tumba.


Mas viveis!!! e havia vida, naquela época!!!

3 comentário(s):

disse...

POSTA MAIS! :D

coffee-break disse...

você escreve bem (leia-se também: você escreve do jeito que eu gosto de ler - coisa corrida, mas ao mesmo tempo suave)

gostei do "minuscularei" lá debaixo e do morango abstrato de across the universe.

Abs!

obs.: eu já fiz um "Ode ao silêncio"

Kaic Aude disse...

Lindo blog, cara! To fascinado pelo visual!

Quanto ao poema, achei-o humanamente binário! Abraços!