terça-feira, 31 de março de 2009

Pequeno mar

O mar serve de mensageiro, e anuncia
meu retorno. Sou navegante no escuro
e no escuro estou.
À manhãzinha, deixo meu adeus, até logo...
até amanhã, e o amanhã chega nunca.
O quão triste é deixar meu amor
aos caprichos alheios?
Na praia cinza destróem-se de vez
o total de meus anseios.

E no sal repercute
no sol queima, lenta,
a acidez do longe.

2 comentário(s):

disse...

mas! que coisa mais Odisséia isso daqui, viu? muito influenciável, tu. mas fico feliz em saber que me obedeceu
FÃS DO JULI, ISSO NÃO É UM COMENTÁRIO!

Caqui disse...

goxxtei bastante deste.