quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Cidade verdura

O tempo se esforça a passar
na rua e nessa fala,
lê-se aí
cinquenta por cento em desconto
em peças de qualquer ordem ou espécie.
Banco 24 horas
te ajudamos, financiamos
seu cachorro também.
Abacaxi na venda,
maçã, pera,
romã falta, se falta!
A verdura verdeja
sob o brilho salgado,
verdura também o sujeito
detrás do balcão madeira-fina.
Joias, vendemos joias
para joias, mas trata-se
apenas de uma
metáfora, veja bem.
Sorvete para o moleque,
sorri com gosto, pura água,
sorri que hoje é feriado.
Loja da música, temos
tudo, a música
da próxima semana, e
aquela ainda a ser inventada, quem sabe.
Remédios, remédios,
dá-me todos,
os mais coloridos,
tomarei num gole só, mas com água.
Fio dental? Dá,
não sabia que precisava
deste também.
Folha a virar página ainda,
papel manteiga, sulfite, crepom, sufixo tem?
Ah, é, vê-me uns
de nome engraçado.
Obrigado, volte
sempre, mas com
dinheiro.
Acabei-me na igrejinha,
o sino a me anunciar.
Casa de Deus,
fui dar-me com Jesus
suas estórias de salvação
que não entendo, mas
acho lindo, lindo...
Aqui fico, sentado à cruz
acabo a cidade às letras INRI, mas
quem sabe onde acabo?

2 comentário(s):

disse...

really really really awesome! e não estou exagerando, adorei este aí! esse ar de praia tá te fazendo bem! não que não fosse bom antes, mas, ah, tu entendeu!

Caqui disse...

gostei! me fez pensar umas coisas.
criativo, pra variar. me empresta?