quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Memorial

Aqui, gravado em pedra e em silêncio,
repousa nosso senhorio maior.
Faça silêncio, favor
não tocar, mostre ao menos
um esboço de respeito.
O verde nasce aos pés da estátua:
é sinal ou coincidência,
obra divina, glória! glória!
todos cantam em si.
Enfim, seria bom homem?
tivera seus deslizes, será,
mas que homem não merece a forca,
meu deus? Meu Deus, pra quê pai,
abandonaste a alma pobre
quando precisava-te.

O senhor deixou uma granja fina
a ser dividida entre netos,
ordem do tapa.
Lá vão eles, amassados,
a ver quem fica com a única vaca leiteira.

1 comentário(s):

Caqui disse...

ai, coisa triste.
mas tá bom!
see ya.